Atas de reunião

Ata reunião pedagógica- 08 de setembro

Presentes

Bira
Gisella
Massao
Sylvio

pauta
– apresentação do blog http://www.tanquedeareia.wordpress.com + como editar
– estabelecimento do formato para relatório, descrição das atividades
– definição de responsáveis pelos relatórios
decisões
– massao verá como tornar o blog absolutamente privado, como inserir novos usuários para sabermos quem fez as modificações e ver se há limites de toques por páginas.
– O relatório das atividades deve seguir o seguinte formato:
data,
atividade realizada (n/ + nome da atividade),
meta do educador,
Como foi a participação? (destacar o coletivo e indivíduos),
indicativos (temas que surgiram e que vale preparar uma atividade – ex: homosexualidade, doenças sexualmente transmissíveis, etc, comportamentos que precisam ser analisados, etc….).
– Bira vai bater a lista de equipamentos com a Marina
– Reforçamos a necessidade de ficarmos atentos a temas transversais que surgem para prepararmos oficinas especiais e chamarmos outros educdores…
– Sylvio ficou de ver a posibilidade de recebermos do Aprendiz uma formação sobre educação democrática para passarmos a fazer eventuais assembléias com os participantes
– Conversamos sobre a necessidade de presença física e “espiritual” nas reuniões junto a professores, coordenadores das escolas;
– Os relatórios decada escola será feito a partir de um rodízio;
– Massao fica responsável pelo cronograma de Heliópolis e Sylvio e Bira pelo do Grajaú.
– O blog deve ser atualizado logo depois das oficinas
– Fechamos até a atividade V do módulo I.

__

__________________________________________________________________________________

Ata Ida Céu Navegantes- Sexta- 11 de julho de 2008

Viajantes:

Marina

Fernanda

Sylvio

Gi

Rassa

Bira

Massao

Nos reunimos com a Mônica, que esteve na reunião aqui na Viração, e com a coordenadora da EMEF Jardim Eliana, Márcia, que fez o curso do EDUCOM há 4 anos.

A Márcia apontou a necessidade de legalizar a proposta do projeto do BT frente a SME.

O que foi definido na prática:

– Vamos trabalhar só com a 6ª série de 3ª e 6ª feira, das 9h às 12h, mas a coordenadora chamará alguns estudantes da 5ª série.Tem 3 salas de 38 estudantes de 6ª série.

(Horários da escola:

7ª e 8ª séries: 7h às 13h.

5ª e 6ª: 13h30 às 18h30.)

A escola fornecerá o lanche.

O pessoal de lá apontou que é importante que os estudantes não tenham muito “tempo livre” entre nossa atividade e o início do período de aulas. Inicialmente eles incumbirão um educador para acompanhar os jovens entre o fim da nossa formação, o almoço e o início das aulas.

Próximos encontros:

21/07, segunda, às 10h: Apresentação do projeto para professores

19/08, às 14h: mutirão

26/08- 14h- finalização da seleção dos estudantes junto aos professores

02/09- Início das atividades.

O GEIF acontece em três momentos:

2ª, 3ª e 4ª das 8h às 11h.

2ª, 3ª, 4ª das 16h40 às 19h

2ª, 3ª, 4ª das 19h às 21h. – Ficou acertado que só fixaremos as datas da formação dos educadores depois da apresentação do projeto na semana que vem.

Outras informações:

Parte dos artistas locais do Grajaú fazem parte do Conselho Cultural do CEU, as reuniões costumam acontecer à noite ou nos finais de semana.

Há dificuldade em divulgar os trabalhos dentro do CEU e outros espaços para a comunidade.

– A sala de informática é usada 80% do tempo de aula. Os computadores tem monitoramento remoto da PROPAN e são um pouco obsoletos. Se quisermos instalar algum software, tem que fazer todo um trâmite burocrático para pedir autorização.

– O CEU tem chuveiro.

A escola está negociando com a SME para que o ano que vem todas as séries do Fundamental II tenham aula de manhã.

– Nossa presença nas férias é considerada fundamental.

Contatos:

Mônica: 59765531 ceunaveganteseduc@prfeitura.sp.gov.br

Márcia: 93086866

5976 5509/10 brazilianpeople@ig.com.br

________________________________________________________________________

Tuesday, July 08, 2008 4:30 PM

Pessoal,

Nosso encontro hoje foi super legal. Fomos eu, Bira, Rassa, Marina, Fernanda e Sylvio na van do Aprendiz, levamos 50 minutos. Segundo o Sylvio, de transporte público demora duas horas…

O Brás, diretor da Campos Salles, chamou para a reunião o João, presidente da Unas (associação de bairro de Heliópolis), Maria de Lourdes, professora, o Genaro, da Unas e que trabalha com alguns jovens em liberdade assistida, Ana Maria, coordenadora educacional que está tocando o projeto “Produtores de Notícias” (USP), Edmundo, coordenador do CRECA que também trabalha com projetos de justiça restaurativa, a Genésia, que é da comunidade e outros educadores.

O que foi definido na prática:

As turmas de 5ª a 8ª têm aula de manhã, assim que só poderemos fazer a formação à tarde, com uma turma de 30.

Combinamos que a formação será de 2ª e 4ª, das 14 às 17. A escola fornecerá lanche.

A capacitação dos professores será de 15 em 15 dias (segunda ou quarta- a combinar), durante o GEIF, equivalente ao HTPC, que tem 1h e 1/2 de duração.

Dia 22 de jullho, terça, às 8 da manhã, apresentaremos aos educadores nossa proposta de capacitação em power point. Teremos meia hora para apresentar e mais meia hora para que eles façam sugestões e tirem suas dúvidas. O Brás reafirmou a necessidade de sempre tratarmos os educadores como PARCEIROS.

Dia 29 de julho, terça, do 12h30 às 13h30, faremos junto aos educadores o planejamento de sua capacitação.

Dia 13 de agosto, será feito o mutirão de comunicação. Das 8h às 10h para as 7ªs séries e das 10h às 12h para as 6ªs.

Semana de 18 de agosto- finalizar seleção.

Semana de 25 de agosto- início das atividades

A educadora Maria de Lourdes será nossa referência para o projeto do BT.

Outros pontos levantados pelo pessoal de Heliópolis:

– Estudante sabe o que está errado na escola, mas precisa aprender a intervir de forma adequada.

– Depois que as paredes que dividiam as turmas por série foram derrubadas, o espaço educativo passou a ser chamado de salão.

– Há um grupo de estudantes eleitos que tem como missão levantar os problemas da escola. Esse grupo é visto como estudantes “alcaguetas”.

– Foi questionado sobre o que o projeto levará para comunidade, pois todos projetos demandam da comunidade, mas não deixam nada para ele.

– Os representantes da UNAS e outras pessoas da comunidade querem participar da formação dos educadores. Muito importante levando em conta o conceito de “bairro educador”.

– Brás defende a Campos Salles como centro de formação e liderança para transformação da comunidade.

– O projeto do BT poderá se incorporar ao Pólo Educacional do CEU que está sendo construído.

– Brás se preocupa com a aderência dos adolescnetes ao projeto. Contou que conseguiram 9 vagas para o curso de educomunicação da Oboré e que, no final, só sobraram 3 estudantes.

– Ficamos de fazer junto à escola um levantamento dos projetos já existentes. O que já se sabe é que: de 3ª e 5ª alguns participam do projeto de robótica, de quarta 25 jovens vão ter aula de informática em uma escola particular, de 3ª e 6ª tem o projeto de volley e de sexta o de produtores de notícias (que têm várias pontes interessantes com o nosso).

– Conversamos um pouco sobre quais serão os critério de seleção, mas não avançamos muito. Foi chamada a atenção para coisas como comprometimento e a possibilidade de chamar pais e mães dos estudantes interessados para que eles também conheçam a proposta.

– A sala de informática tem 20 computadores com Internet banda larga. Não tem nenhuma sala para nosso projeto.

– A Maria de Lourdes verá a possibilidade de reservarmos os computadores para o projeto.

– A Secretaria de Educação instalou câmeras de vigilância na escola. Se o Brás tirar e sumir algum equipamento da escola, ele será diretamente responsabilizado pelo sumiço…

– Temos que criar cartazes para divulgar o projeto.

– Estão construindo uma escola técnica. O Brás pede para que ajudemos os estudantes a se capacitarem para poder entrar na escola técnica para que ela não vire um espaço só para estudantes de classe média de outros bairros… Falamos sobre a idéia de interdisciplinaridade do projeto. – um dado muito relevante sobre o contexto da escola e do bairro: mais do que uma escola técnica, o que está sendo construído ali é um polo educativo, que será composto por algumas instituições como creche, escola de ensino fundamental e escola de ensino técnico, além de equipamentos de esporte e lazer. A coordenadora desse polo é a Arlete. Segundo ela, a idéia é que esse polo seja uma espécie de CEU. Fiquemos atentos a esse assunto, pois.

Ok, complementem!!

Sexta vamos para o Grajaú!

beijocas felizes,

Gi

————————————————————————-

Ata Reunião Aprendiz/ Viração- 24/04/08

Pontos a serem levados em conta durante desenvolvimento do projeto:

· Como envolver adolescentes que não são os protagonistas?

· Atenção aos horários das escolas

· Intergeracional

· Interdisciplinar

· Pensar nos momentos de comunicação com funcionários

· Uma vez por mês- 2 reuniões de HTPC, um dia de reunião com conselho escolar

ESCOLA_ COMUNIDADE_CIDADE

– O eixo do projeto é o sujeito como participante da construção da qualidade de vida.

– Neste eixo, atuaremos na integração da escola com a comunidade

– Articular na escola a gestão democrática e o currículo integrado

– Articular na comunidade a gestão das políticas públicas integradas e a participação política

– Os agentes do projeto são os jovens comunicadores

– As ações são:

1- Formação dos jovens em mídias, mapas, política, intercâmbio e imersão em outros contextos

2- Validação de políticas e instâncias democráticas dentro da escola (conselho escolar, reunião de professores, conselhos tutelares, grêmios)

– Difusão dos conteúdos produzidos pelos canais existentes e por novos

– Avaliação

– Dois eixos de meios de comunicação: impresso (jornal mural, fanzine, quadrinhos) e eletrônico (web, foto, vídeo de bolso, rádio)

– Outras ações estratégicas: criação de um mapa afetivo que se refaz ao longo de todo projeto e que, além da comunicação, funciona como plataforma para a interdisciplinariedade. Idéia de ter um projetor e apresentar vídeos e fotos da comunidade para todos

– 1° Dia- Mutirão de Arte e Comunicação na primeira semana de volta às aulas em agosto- Evento funcionará como pocket do que faremos durante o projeto. Forma de apresentar o projeto para toda comunidade escolar e fazer a seleção dos participantes de forma mais

Atribuições:

Vira

– Descrição das mídias a serem trabalhadas

– Cronograma de atividades

– Intercâmbio entre projetos

Aprendiz

objetivo geral/ específico

– Descrição da idéia do eixo (sujeito)

– orçamento

– Próximas reuniões: dia 28 de abril, às 9h, no Aprendiz e dia 5 de maio, 9h, na Viração.

______________________________________________________________________________________

Reunião Plano de Ação Mudando Escola e Comunidade- Unicef, Viração e Aprendiz- 16 de abril

Mônica Vieira- CEU Navegantes- Núcleo Educacional- ceunaveganteseduc@prefeitura.sp.gov.br- 59765530

Regina Moura- CEU EMEF Jardim Eliana emefjdeliana@ig.com.br

Reginaldo José Gonçalves ONG UNAS- Heliópolis evolucaorap@hotmail.com Rádio Comunitária Heliópolis- CEDECA

Maria de Lourdes Grigolin- Campos Salles

Rogério ONG Unas- CEDECA- voluntário na Rádio Comunitária Heliópolis

Marina Rosenfeld- Aprendiz

Bira

Mafe

Paulo

Gisella

Adriano

Silvio

Natsha- coordenadora geral do Aprendiz

– Contexto: onde estamos? Como funciona a comunicação entre estudante e professores? E a comunicação na comunidade? E a gestão da escola?

CAMPOS SALLES

– Maria de Lourdes- Escola municipal. – 2006 começaram os trabalhos em grupo e em 2008 derrubaram as paredes.Trabalham em mesas redondas com 4 cadeiras. Brás vai na casa, aceita estudantes que foram expulsos de outras escolas. Autonomia, responsabilidade e solidariedade para que os colegas se ajudem. Os professores se reúnem e fazem roteiro interdisciplinar para 15 dias de trabalhos. Estudantes recebem roteiros. Alguns professores usam microfone. No geral, não se usa lousa. Professor é orientador. 450 estudantes em cada período. 140 estudantes por salão. Projeto Rexona na escola(aula de higiene e saúde, volleyball). Tem uma rádio do Educom que professora cuidava desde 95, mas aparelho está ruim, mas desde o meio do ano passado que não funciona mais. Vão construir espaço cultural e quadra poliesportiva. Vai construir uma EMEI perto e a Paula Souza vai construir uma escola técnica. 10 estudantes da Campo Salles estão no Correspondente da Cidadania. Projeto inspirado na Escola da Ponte e na Alceu Amoroso Lima do Butantã. Brás tb consultou comunidade.

Na questão da saúde, no ano passado foi feita uma pesquisa de cadastro para criar certeira para freqüentar centro de saúde. Hospital Heliópolis e AMAS (municipal- Atendimento Médico Ambulatorial.

Escola ganhou alguns computadores, estão esperando instalação, tem uma sala de informática com 20 computadores, Mara vai ser a professora de informática. 10 estudantes vão ao Palets, escola particular, para ter aula de informática virar monitores na escola. Tem sala de leitura com horário para cada ano.

Brás dá aula de kratê ao fins de semana. Brás planeja levar os computadores

Agora que Lourdes foi readptada (não trabalha mais como professora)

– Reginaldo- Antes, quando um professor faltava estudantes eram dispensados. Rádio foi perguntar para estudantes e pais sobre as mudanças na escola. Brás está na escola há 12 anos. Em 2008 aconteceu a 10 caminhada pela paz. Rádio Heliópolis, Oboré, Universidade Metodista- projeto Correspondente da Cidadania de capacitação de 3 meses das 4 escolas do entorno de Heliópolis (Manuela, Ataliba (estaduais) e Campos Salles e Gonzaguinha). Jovens se tornam repórteres. Ano passado projeto foi para os locutores voluntários e este ano para estudantes. Jovens Conscientes de Heliópolis foi aprovado pelo VAI- dj- Hoje os jovens estão ganhando $ com DJ, pois montaram uma cooperativa e outro participante é hoje professor de dança. VI não foi renovado, Cine Favela foi renovado, mas JC não sob argumento de que local já tem muitos projetos. Heliópolis maior favela de SP e segunda da América Latina. 1 milhão m2. UNAS tem 10 núcleos. Rádio nasceu em 92 e agora conseguiram a outorga e fazem todo mês reunião com outras rádios. Lá funciona também a Rádio Elite. Everaldo superintendente da Anatel pediu para Rádio Heliópolis denunciar outras rádios! Não tem Grêmio na escola- não tem espaço físico, nem professor para acompanhar.

Crime organizado não interfere nos projetos, mas pedem respeito a comunidade. Núcleo Pilões- Datena colocou câmera escondida, polícia ficou lá uma semana, não resolveu o problema e agora ninguém pode entrar, principalmente repórter. Participação no tráfico é rotativa.

Tem Telecentro e Infocentro.

Conselho Tutelar- Solange que tem relação forte com a Unas. Cedeca fica em frente ao Campo Salles. Todo conselho que acha que tem que ter representação da comunidade, a rádio faz campanha.

– Rogério- Daqui uns dias não vai mais ter muro em volta da escola. Estudante no tráfico diminuiu. Há 6 anos, estudante não tinha opção, não tinha nada para fazer, mas hoje têm bastante projetos. Oficina de dança e dj no Cingapura, que faz divisa com São Caetano, onde o tráfico é imenso e as pessoas andam armadas, tiraram oficineiros de lá. Na semana seguinte adolescentes, que tiraram pessoal de lá, foram participar das aulas.

– Paulo fala da parceria do educom.

– Natasha fala do projeto do Sou da Paz para incentivar criação de grêmios.

Marina conta que Brás disse que seria legal criar equipe da escola para que tivessem programa na rádio.

CANTINHO DO CÉU

Mônica- CEU tem 4 anos, tem função social e educacional lida com questões de políticas públicas que permitem ou na determinadas iniciativas. Ao lado da represa da Bilings. Regimento do CEU- atende toda uma coordenadoria educacional da Capela. Três unidades escolares- CEI (creche para 0 a 4 anos), EMEI (4 a 6) e EMEF (até fim da fundamental) e EJA, todas escolas no mesmo bloco- este bloco didático tem telecentro (20 computadores da secretaria de comunicação para comunidade).

Tem bloco cultural, ginásio para escola e usuário, complexo aquático, salas que chamam de atelier, estúdios que não tem acústica. A gestão que tem gestor que não é chefia das unidades escolares (que fica com a diretoria). Gestor, mais três pessoas.

EMEF- Tem sala de informática educativa (22 computadores- só para estudante), tem autonomia em relação ao CEU, 1300 estudantes, três períodos.

Bloco didático- usuário tem carteirinha.

Região de ocupação irregular, área de proteção aos mananciais, comunidade real existente, rodeado pela comunidade.

40% da comunidade é formada por crianças.

Bloco cultural – ferrugem- morador do bairro, dj, voluntário do CEU, foi técnico de som, coordenador de cultura, trabalha a comunicação com a comunidade pelo boletim Boca do CEU divulgando as atividades do CÉU. Também está organizando um blog junto com uma lan house. Teatro tem uma filmadora. Domingueira- domingo a tarde, música temática (violino, funk, ballet clássico com interferência do dj – com coisas de lá e de fora). Bailes dos mais novos para os mais velhos, uma vez por mês.

CEU funciona das 8 as 22h e até as 20h ao fins de semana.

Quadra única causa problemas, necessidade de mais espaço físico.

CEU tem estação de tratamento de esgoto, região de fossa.

A relação com a comunidade: escola pode usar sala de dança e teatro (450 lugares sempre com técnico de som e luz) mediante agendamento. Comunidade e instituições e outras escolas podem desenvolver atividades lá sem fins lucrativos, religiosos ou políticos. Desbravadores da Igreja Adventista usam. Muitas escolas não usam por questão do transporte. Porta aberta e valorização da cultura local, 90 estudantes na oficina de hip hop, aula de skate. Muitos professores e oficineiros moram lá e se interessam pelo desenvolvimento da comunidade professor de violão, violino).

EMEF do CEU não tem equipamento do Educom.

Professor pode usar espaço da piscina.

Atividades são divulgadas por panfletagem. Oficinas acontecem de manhã e tarde para que estudantes possam participar.

Hidro night- EJA- dj toca, coordenadora de esporte que agita.

Famílias têm resistência porque crianças tem dinâmica própria nas casas. Famílias ao bem crentes.

Tem um bom grupo de beach soccer.

Dificuldade de manutenção de professores.Rotatividade

UBS 20 minutos de carro.

Não tem posto de enfermagem.

Distante do bombeiro

Acesso complicado.

Muitos adolescentes com necessidades especiais, só tem um elevador.

A chegada do CEU ajudou “a melhorar a segurança da região”

Funcionários da limpeza moram na região.

Poucos problemas de depredação do CEU.

Não tem grêmio, mas alguns jovens da comunidade são bastante articulados.

Principio de organização dos moradores.

Conselho tutelar no Grajaú, não tem representantes do Cantinho.

Comunidade razoavelmente antiga.

O CÉU tem que desenvolver um processo ambiental.

Encerramento:

Natasha: Construção conjunta é muito importante.

Maria de Lourdes: Que a comunicação traga progresso para a comunidade.

Mônica: A escola fica lutando com a vida, e a vida é muito interessante que a escola.Gostaria que o meio de comunicação aproximasse a escola da comunidade da escola vice-versa. Auxiliar na alfabetização Construir sentido na necessidade de aprender.

Reginaldo: Importante fazer projeto que abarque também a família, a comunidade e professores.

—————————————————————–

Ata Reunião Vira/ Aprendiz- 10 de abril de 2008-04-11

– A viração apresentou sua proposta de formação de equipe. O acordo final foi que:

  • Haverá uma coordenação geral com dois representantes da Vira (Gisella e Paulo), dois do Aprendiz (Natasha e + 1). Esta coordenação fará as transações mais políticas com o Unicef, Cipó e demais parceiros. As pessoas do Aprendiz sairão do Núcleo de Comunicação e Tecnologia, que cuida do site e práticas de educomunicação com desenvolvimento de produtos.
  • Haverá uma coordenação executiva que ficará com a Viração (Gisella). Esta coordenação ficará responsável pelo dia-a-dia do projeto, relatórios, etc.
  • Haverá dois educadores, um da Vira e outro do Aprendiz (Silvio)

– Natasha e Paulo vão marcar uma conversa com o Alexandre Sayad da Rede CEP para apresentar a idéia de ter um encarte de 4 páginas do projeto dentro da revista impressa para falar do que acontece nas 10 escalas envolvidas. Cada escola terá assinaturas a Viração.

– Temos que entregar um plano de ação (de julho de 2008 a julho de 2009) até 6 de maio. Este plano deve conter:

· Quais os efeitos/ estratégias de nossa ação?

· Quais serão os produtos?

· Quais serão as atividades (com cronograma)?

· Resultado esperado a partir das metas do Unicef

· Orçamento mês a mês ( o Unicef mandará o $ por trimestre temos que gastar pelo menos 75% do $ previsto).

– Próxima reunião será quarta dia 16 de abril, na sede da Vira, às 9 da manhã. A Marina do Aprendiz ficou de convidar um professor/coordenador e um estudante de cada escola para que eles participem dessa reunião para desenhar as linhas gerais do projeto.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: