27/fev. e 05 /março

by

Da janela do trem, rumo ao Grajaú

Da janela do trem, rumo ao Grajaú

***

Dia de chegada !

A volta pro Grajaú, pra escola e pro CEU Navegantes foi alegria e confirmação, de nosso trabalho comunitário, da vocação do projeto. Chegada tranqüila, com portas abertas e amplo acesso às crianças, encontramos a gestão do lugar e a equipe escolar empolgados e organizados, o que facilita a reconexão geral e o início do novo ano letivo. Já na semana anterior (sexta, 27/ março) pela manhã passamos nas 3 salas da 7ª série, nosso público focado, convocando os antigos para o dia de reencontro, e convidando interessados novos conhecerem o programa nesse mesmo dia, também de sensibilização, momento de reunir uma turma cheia. Saudações dadas, uma conversa inicial foi feita só com quem já faz parte do grupo, combinando como receberíamos novos interessados e novos integrantes, destacando sua importância no auxílio desse recomeço, compromisso e responsabilidade.

* Do grupo estabelecido “Navegantes da Notícia”, com 26 componentes em 2008, continuamos com 18 adolescentes (veteranos) a princípio, o que abre vaga para mais 10 integrantes, perfazendo uma média de 28, calculando evasão de 25%, pra finalmente chegar num grupo de vinte, em média.

05/março

Na Sensibilização de Educomunicação planejada para o recomeço, levamos um quarteto de educadores representativos para conduzir e abrilhantar o dia: Júlia (Agência de Notícias Aprendiz / Repórter Aprendiz) e Elis (chegando de Recife para ser educadora referência), as duas pela primeira vez no Grajaú, mulheres fortes que queremos perto das formações. Mais o educador referência Sylvio e  Massao (educador da equipe, referência em Heliópolis), já conhecidos no pedaço. Tarde de terça feira com 40 adolescentes agitados, metade novos e metade veteranos (ainda que com 3 meses de vantagem, o que faz diferença, seu entrosamento merece reconhecimento) já sabendo a atividade que faríamos, voto de confiança. Importante destacar que de um universo de (mais ou menos) 110 adolescentes de 7ª série, conseguimos atingir uns 37%, média altíssima. Destes, formamos uma turma de 28 componentes para essa largada de 2009;

Fizemos um grande círculo na sala multiuso, propícia para grandes grupos, descalços e relaxados abrimos com a dinâmica sugerida pela Elis: “Como é que sua mãe lava a saia”, cantiga onde dizemos e cantamos o nome de cada um, e cada um vai até o centro do círculo e gesticula uns jeito de lavagem, mímica e música. Vergonha provocada, risadas, palmas, foi quem tinha vontade, quem não tinha ficou pra próxima, falamos da função daquela brincadeira (desinibição, aquecimento, exercício físico).

Ainda em círculo, sentamos para um bate papo de abertura e para escutar a história do livro: “Declaração Universal do Moleque Invocado”, de Fernando Bonassi, leitura dinâmica feita pelo educador em tom provocativo, puxando reflexões rápidas e intervenções do pessoal. O livro fala de direitos humanos na ótica das crianças, de uma forma criativa, irreverente e muito sensível. Ideal para trazer a reflexão e o debate sobre o ECA. Seguiu-se um rápido debate, e a tarefa desafio proposta em cima dessa pauta explanada: Criar um manifesto.

* Atividade:

4 sub-grupos, 5 novos e 5 antigos para cada lado, devidamente misturados, um educador para cada time. Cada sub-grupo tem 1h para criar seu manifesto, de acordo com críticas e considerações próprias, manifestando desejos, anseios e convicções. 3 Formas requisitadas: Uma carta protesto redigida para os adultos, para os governantes, para os donos de tudo, para os deuses, para os pais, para a sociedade./ Uma bandeira desenhada desse protesto, imagem, cor, lema, brasão, cartolina que venda a mensagem./ Um hino, música, canto que embale o protesto, funk, rap ou forró, qualquer ritmo com letra composta no clima do ECA;

Findo o tempo estipulado, reunimos todos para a fase de finalização e apresentação dos Manifestos, onde cada grupo faz a defesa de sua pequena campanha. Os 4 grupos trouxeram criações ágeis e bonitas, contestações abrangentes, defendendo a criança e o adolescente como uma categoria. A proposta conseguiu envolver a maior parte do pessoal e desencadear produtos, clareando potenciais e inaptidões. Trazendo suas questões relevantes, a argumentação de cada um está sendo vista. Em seguida, voltando ao círculo acentuamos como cada ação e atividade feita naquela tarde tinha relação com a comunicação, escrita ou falada, encenada ou protestada, cantada ou desenhada. Cada etapa foi um teste informal. Fechamos com um abraço coletivo, onde a Júlia e a Elis contaram um pouquinho de sua história, onde os novos interessados deixaram seu nome em uma lista, e onde encerramos uma tarde harmoniosa.

Sylvio Ayala (educador)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: